MANUAL (GUIA) DA GERMINAÇÃO

Traduzido e adaptado de: http://www.seedsofchange.com/digging/germ_technique.aspx
por Rodrigo S. Mazzoni


A Natureza projetou as sementes de cada espécie para germinarem em um período ideal, período este que fornece as condições necessárias para que o embrião da planta possa despertar. 

Muitas sementes entram em um período de espera (dormência) assim que se soltam da planta mãe. Para a maioria das espécies, uma combinação de temperatura e umidade é o suficiente para que comecem a germinar. Entretanto, muitas flores perenes, árvores e arbutos têm mecanismos de germinação que podem ser um pouco mais complexos.

Abaixo estão os
Principais Fatores que Influenciam na Germinação

Luz














Algumas sementes têm seu mecanismo de dormência alterado pela presença ou pela ausência de luz. A lógica é simples: para sementes que têm a germinação inibida pela luz, enterre-as ou deixe no escuro. Para espécies que necessitam de luz para germinar, semeie somente sobre a superfície.

icon-sunOn.png icon-sunOf.png
Presença de Luz  Ausência de Luz
semear na superfície 

enterrar ou cobrir as sementes


Temperatura











Temperatura é a principal variável na germinação de sementes. Algumas sementes necessitam de períodos frios, de aproximadamente 0 a 5˚C, para alterar seu mecanismo de dormência. Alguns gêneros germinam melhor após períodos de oscilação na temperatura, tal como ocorre na Primavera. Outras espécies necessitam de calor para quebrar sua dormência, e despejar água morna nestas sementes acelera radicalmente o processo de germinação.
Manter a temperatura sempre constante também é importante.

icon-tempHi.png icon-tempMe.png icon-tempLo.png
Temperatura Alta Temperatura Média Temperatura Baixa 
acima de 26°C de 10 a 25°C  até 5°C


Umidade
















Germinações que dependem de umidade indicam um mecanismo de dormência que espera por estações chuvosas. Por isso, algumas sementes necessitam de um mínimo específico de umidade para que seja possível seu nascimento; em contrapartida, algumas sementes são muito frágeis a qualquer excesso de umidade e podem apodrecer rapidamente. A humidade também influencia na estocagem das sementes: algumas espécies germinam melhor após serem estocadas bem secas; outras necessitam serem armazenadas úmidas, do contrário morrerão rapidamente.

icon-umidHi.png icon-umidLo.png
Humidade Alta Humidade Baixa
de 60 a 90%
usar substratos que retem bem a água
 até 60%
usar substratos leves e bem drenados


Substrato











O substrato é outro fator importante e influencia a germinação de diferentes formas: 1) sua capacidade de reter umidade, pois algumas sementes precisam de umidade constante, enquanto outras apodrecem rapidamente com qualquer excesso mínimo de umidade; 2) sua composição, visto que algumas sementes necessitam de substratos inertes (sem material orgânico - como algodão, papel-toalha, musgo, etc) e outras precisam de substratos bem férteis.


icon-subsOr.png icon-subsIn.png
Substratos Férteis Substratos Inertes
orgânicos, humus, terra vegetal fibra de côco, algodão, papel-toalha,
areia, vermiculita



Tempo
















O tempo atua em conjunto com as três condições acima. Por ex. Echinacea paradoxa precisa de 2 a 3 meses de frio, tempo suficiente para que as mudanças químicas ocorram a dormência seja quebrada. Sementes que germinam em poucos dias podem apodrecer se passar muito tempo, enquanto outras sementes necessitam de várias semanas ou até meses para romper a dormência.

Também, a deterioração natural acontece com todas as sementes, mesmo as armazenadas em locais secos. Algumas deterioram-se após um curto espaço de tempo, mas a maioria das sementes duram um ou dois anos. Algumas outras podem viver 100 anos ou mais (geralmente sementes com casca muito impenetrável).

icon-timeLo.png icon-timeMe.png icon-timeHi.png
Rápida Média Lenta
de 1 a 14 dias de 15 a 30 dias  de 1 a vários meses

 


Para as espécies que precisam de tratamentos especiais, podemos simular as condições das quais suas sementes necessitam para germinar. A seguir, iremos discutir os diferentes métodos.

  

Métodos Para Simular ou Forçar Condições Naturais de Germinação


ESCARIFICAÇÃO
Algumas sementes têm uma casca muito grossa ou dura, impenetrável, que gera uma barreira física para a germinação. A escarificação consiste em lascar, lixar ou furar uma pequena área da casca da semente. Este processo permite com que a água entre no interior da semente. Para sementes pequenas, tente esfregá-las gentilmente em uma lixa fina. Plante a semente imediatamente ou mergulhe em água por 24 horas.


SEMEADURA NA SUPERFÍCIE

Sementes que dependem de luz para germinar precisam ser plantadas na superfície. É muito importante para a semente que tenha contato com o meio de cultivo (para dicas de como preparar meios de cultivo sem terra, veja abaixo). Pressione a semente dentro do meio de cultivo de maneira gentil, porém consistente. Matenha úmido até a germinação. Você pode cobrir com plástico transparente para melhorar a retenção de umidade. Assim que as sementes germinarem e as jovens mudas surgirem, remova qualquer coisa que esteja tampando o local onde estão.


EMBEBER EM "FUMAÇA"

Algumas espécies de climas secos e áridos, germinam somente após a ocorrência de queimadas naturais, uma vez que a fuligem e a fumaça contém os componentes químicos necessários para a quebra de dormência destas sementes. Para este efeito, existem os "Smoke Primers", que basicamente são cartões de papel expostos a fumaça, de tal maneira que retenham os componentes químicos da fumaça. Basta colocar as sementes e um pedaço de Smoke Primer em um recipiente, despejar água e deixar descansar por 24 horas. Você encontra o Smoke Primer aqui, na ReinoPlantae!


ESTRATIFICAÇÃO A QUENTE

Muitas sementes, principalmente de climas mais secos e quentes e com cascas duras, têm sua germinação acelerada ao entrarem em contato com altas temperaturas. Para este efeito, basta despejar água morna (não-fervente), algo em torno de 45 a 60˚C, sobre as sementes e deixar descansar por 24 a 48 horas. Após o descanso, podem ser semeadas diretamente no meio de cultivo escolhido.


ESTRATIFICAÇÃO A FRIO

Pode ser feita de diferentes maneiras:

 
Semear direto em exteriores no chão/solo

(épocas ou regiões frias)


Semear em bandejas ou vasos

(na geladeira - épocas ou regiões quentes)


Semear em papel-toalha ou meios sem terra com cobertura plástica
(na geladeira - épocas ou regiões quentes)

Semeie em lugares abertos (exteriores) diratamente no chão, no começo da Primavera quando as temperaturas flutuam radicalmente e o frio ainda ocorre, ou no Outono. Você também pode dispor as sementes em uma bandeja de germinação, cobrí-las com plástico transparente e armazená-las externamente durante o inverno.

Preencha vasos ou bandejas com substrato livre de terra, umedeça sem encharcar, semeie cada semente individualmente. Coloque o recipiente em sacolas plásticas transparentes com um pequeno furo para circulação do ar. Etiquete com nome e data. Coloque em uma geladeira por um tempo pré-determinado, o qual varia para cada espécie. Matenha úmido!

Posicione as sementes entre as dobras do papel-toalha úmido, ou em um meio de cultivo sem terra e úmido (misture partes iguais de areia, vermiculita e turfa, fibra de coco ou casca de pinus triturada). Coloque em um saco plástico transparente, ligeiramente aberto. Etiquete com nome e data. Coloque na geladeira ou refrigerador. Cheque a umidade periodicamente.

Desvantagens deste método:
Esquecer onde você plantou as sementes.

Perder as etiquetas de identificação. Pássaros e roedores podem comer as sementes.

Interferência de ervas daninhas. Umidade insuficiente principalmente para semeaduras de superfície.

Desvantagens deste método:

Falta de espaço para dividir seu refrigerador entre alimentos e bandejas de sementes.

Você terá que se decidir se quer comer ou ter um lindo jardim!

Desvantagens deste método:

Necessidade de plantar as sementes ainda molhadas.



Referências:
Arnosky, Pamela and Frank. March, 2004. Tricks of the Trade for Starting Flower Seed. Article in "Growing for Market."

Clothier, Tom. http://tomclothier.hort.net/index.html Excellent reference site for planting any perennial flower with a large section devoted to just Penstemon spp. Some good photos.

Deno, Norman C. 1994. Seed Germination Theory and Practice. Second Edition.

Powell, Eileen. 1994. From Seed to Bloom How to Grow Over 500 Annuals, Perennials and Herbs.

Traduzido e adaptado de: http://www.seedsofchange.com/digging/germ_technique.aspx
por Rodrigo S. Mazzoni 


 

Regras Gerais para a Germinação de Acordo com o Tipo de Planta
*** Lembrando que a tabela abaixo é uma generalização; sempre terá alguma espécie que foge às regras determinadas para o seu tipo de planta.


Clique em cima do Tipo de Planta para um guia de germinação detalhado!
(em breve)

TIPO DE PLANTA
LUZTEMPERATURAHUMIDADESUBSTRATOTEMPO
Aquáticasicon-sunOn.pngicon-tempMe.pngicon-umidHi.pngicon-subsOr.pngicon-timeLo.png  e  icon-timeMe.png
Árvoresicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempLo.png  icon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidHi.pngicon-subsOr.pngicon-timeLo.png  e  icon-timeMe.png
Arbustosicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidHi.pngicon-subsOr.pngicon-timeMe.png
Broméliasicon-sunOn.pngicon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidHi.pngicon-subsOr.pngou icon-subsIn.pngicon-timeMe.png
Cactosicon-sunOn.pngicon-tempHi.pngicon-umidLo.pngicon-subsOr.pngou icon-subsIn.pngicon-timeLo.png
Carnívorasicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempMe.pngicon-umidHi.pngicon-subsOr.pngou icon-subsIn.pngicon-timeLo.png
Caudiciformesicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempHi.png
 
icon-umidLo.pngicon-subsOr.pngicon-timeMe.png  icon-timeHi.png
Comestíveisicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempLo.pngicon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidLo.png  ou icon-umidHi.pngicon-subsOr.pngou icon-subsIn.pngicon-timeLo.png  à  icon-timeHi.png
Ervasicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidLo.png  ou icon-umidHi.pngicon-subsOr.pngicon-timeLo.png
Hortaliçasicon-sunOn.pngicon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidHi.pngicon-subsOr.pngicon-timeLo.png
Palmeirasicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempHi.pngicon-umidHi.pngicon-subsIn.pngicon-timeMe.png  e  icon-timeHi.png
Pinheirosicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempLo.png  icon-tempMe.pngicon-umidLo.png  ou icon-umidHi.pngicon-subsOr.pngou icon-subsIn.pngicon-timeMe.png
Rosa-do-desertoicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempHi.pngicon-umidLo.pngicon-subsOr.pngicon-timeLo.png
Suculentasicon-sunOn.pngicon-tempHi.pngicon-umidLo.pngicon-subsOr.pngicon-timeLo.png  e  icon-timeMe.png
Trepadeirasicon-sunOn.pngou icon-sunOf.pngicon-tempMe.png  icon-tempHi.pngicon-umidHi.png
 
icon-subsOr.pngou icon-subsIn.pngicon-timeLo.png




Espécies Vendidas na ReinoPlantae que Necessitam de Tratamentos Especiais
 Nota: algumas espécies precisam de mais de uma técnica, e por isso podem aparecer em mais de uma coluna
 
EscarificaçãoEstratificação (quente ou fria)
                    vermelho  /  azul
Embeber em fumaça
(Smoke primer)
Nome
Científico 
Nome
Comum 
Nome
Científico 
Nome
Comum 
Nome
Científico 
Nome
Comum 
Adansonia digitata Baobá Abies nobilis Abeto-nobre Banksia sp.
 TODAS as Banksia
Adansonia grandidieri Baobá-de-Grandidieri Acer buergerianum
 Bordô-tridente Erica baccans Flor-do-urzal
Adansonia rubrostipa Baobá Fony
 Acer elegantulum
 Bordô-elegante Erica coccinea Érica-borla
Argyreia beraviensis Sinos-do-Hawaí Acer truncatum
 Bordô-chinês Erica margaritacea Érica-pérola
Argyreia nervosa Trepadeira-elefante  Arctostaphyllus uva-ursi Uva-de-urso Leucadendron discolor
 Ponta-de-chama
Citrus hystrix Lima-de-Caffyr Bolusanthus speciosus Glicínia-africana Leucadendron eucalyptifolium -
Dracaena draco Dragoeiro Chamaedorea metallica Palmeirinha-metálica Leucadendron laureolum
 Ouro-do-inverno
Entada rheedii Erva-do-sonho Africana Euonymus alatus Sarça-ardente Protea sp.
 TODAS as Protea
Gymnocladus chinensis Árvore-sabão Fragaria sp.
 Morango Syncarpha vestita
 Capa-de-neve
Gynkgo biloba Gynkgo biloba Gleditsia triancanthos Espinheiro-da-Virgínia  
Laburnum anagyroides Chuva-de-ouro Gymnocladus chinensis
 Árvore-sabão  
Nelumbo nucifera Lótus-sagrada Gynkgo biloba Gynkgo biloba  
Victoria amazonica Vitória-régia Ilex verticillata Azevinho-do-inverno  
   Juniperus deppeana Junípero-jacaré  
   Lagerstroemia indica Árvore-de-Júpiter  
   Liriodendron tulipifera Árvore-tulipa  
   Mimosa hostilis Jurema-preta  
   Morus alba Amora-branca  
   Morus nigra Amora  
   Pachypodium sp. TODAS AS PACHYPOD.
  
   Parthenocissus quinquefolia
 Hera-americana
  
   Passiflora sp. Maracujá  
   Picea smithiana
 Espruce-do-Himalaia  
   Pinus hwangshanensis Pinheiro-de-Huangshan  
   Pinus monticola
 Pinheiro-branco da CA  
   Pinus pumilla Rocha-japonesa
  
   Pinus roxburghii
 Pinheiro Chir Indiano  
   Pinus sylvestris Pinheiro-escocês  
   Prunus cerasifera Ameixeira-dos-jardins  
   Prunus mahaleb Cereja de Sta. Lucia  
   Prunus serrula Cerejeira-tibetana  
   Pyrus ussuriensis
 Pêra-chinesa  
   Ravenala madagascariensis Árvore-do-viajante  
   Ravenea sambiranensis Palmeira-soindro  
   Trachycarpus fortunei Cata-vento Chinês  
   Wisteria alba Glicínia-branca  
   Wisteria floribunda Glicínia-japonesa  
   Wisteria sinensis Glicínia-azul  
   Zelkova serrata Keyaki